Todas as dicas em Aparelhos

Gengivite e Periodontite nos usuários de aparelho fixo

O que é gengivite?

Gengivite é uma inflamação da gengiva que pode comprometer um ou mais dentes.

Quais as causas da gengivite?

A gengivite é causada pela placa bacteriana – também chamada biofilme – uma película de cor branca, cinzenta ou amarelada que se forma continuamente no ambiente bucal e adere à superfície dos dentes. Se não for removida diariamente por meio da correta escovação e do uso do fio dental, a placa bacteriana produzirá toxinas que podem irritar o tecido gengival, causando a gengivite.
Adicionalmente, alterações hormonais que ocorrem na puberdade, durante a menstruação, na gravidez e na menopausa também podem provocar gengivite, exigindo acompanhamento odontológico e cuidados de higiene bucal especiais e redobrados.
Enfermidades – tais como herpes labial, diabetes, epilepsia, AIDS, leucemia e hipovitaminose -, reação alérgica ou efeitos colaterais de certos medicamentos podem predispor o paciente à ocorrência de gengivite.

Quais os sintomas da gengivite?

A gengivite pode ocorrer em qualquer idade, mas sua manifestação é mais comum entre os adultos. Os principais sintomas são gengivas vermelhas, intumescidas, flácidas ou que sangram durante a escovação ou o uso do fio dental. Se for detectada em seu estágio inicial, a gengivite pode ser revertida.

Qual o tratamento da gengivite?

O tratamento da gengivite consiste em profilaxia (limpeza e remoção de placa bacteriana e, se necessário, de tártaro) executada pelo dentista, além de orientação para uma correta técnica de escovação e uso de fio dental. É necessário, também, que o dentista avalie se há presença de tártaro abaixo da linha da gengiva, o chamado tártaro subgengival.

O que é tártaro?

O tártaro, também conhecido como cálculo dentário, é a calcificação da placa bacteriana que recobre os dentes e parte das gengivas, causado pela má higiene bucal. Sua remoção deve ser feita exclusivamente pelo dentista.

O que acontece se a gengivite não for tratada?

Sem os cuidados necessários, o tártaro acima da genviva (supragengival) começa a se depositar na parte interna da gengiva (tártaro subgengival), formando a chamada bolsa periodontal, que afasta a gengiva dos dentes . Nesse estágio, diz-se que a gengivite evoluiu para a periodontite.

O que é periodontite?

Pode-se dizer que periodontite ou doença periodontal é uma forma mais grave da doença gengival, que compromete todos os tecidos ao redor do dente (periodonto). Quando o tártaro subgengival não é removido ocorrem perda óssea, retração da gengiva e, consequentemente, mobilidade e perda dos dentes.

Quais os sintomas da periodontite?

Muitas vezes os sintomas da periodontite são os mesmos da gengivite, ou podem estar acrescidos de dentes que se separam da gengiva, podendo provocar formação de bolsa periodontal, mudanças na forma como os dentes se encaixam quando se morde, secreção de pus ao redor dos dentes, mau hálito constante ou gosto ruim na boca.

Qual o tratamento da periodontite?

Dependendo da extensão da periodontite, o tratamento pode variar amplamente. Se a doença for diagnosticada precocemente, podem ser realizados procedimentos simples que irão remover a placa bacteriana e o tártaro, e eliminar as bactérias causadoras da infecção. Entretanto, se a doença avançou a um ponto onde as bolsas periodontais estão muito profundas e o osso de suporte foi perdido, cirurgias podem ser necessárias.
Após a fase ativa do tratamento da periodontite é necessário realizar um acompanhamento periódico com o controle de placa, de acordo com o intervalo determinado pelo dentista.

Aparelho Ortodôntico causa gengivite e periodontite?

Aparelho ortodôntico não causa doença periodontal. O que causa gengivite e periodontite é a presença de placa bacteriana, que pode se transformar em tártaro.

RECOMENDAÇÕES

* Utilize a técnica correta para escovar os dentes. A boa escovação e o uso do fio dental são essenciais para uma boca saudável, devendo ser efetuados após cada refeição e antes de dormir.

* Faça visitas regulares ao dentista e fique atento quanto à ocorrência de mudanças no aspecto de seus dentes ou gengiva.

* A ocorrência de sangramento indica que algo não está correto; neste caso, não hesite e procure logo seu dentista.

Mais

Higiene bucal para usuários de aparelho ortodôntico

Técnica de Escovação

A escovação é um passo importante para a manutenção da saúde bucal, e para que ela seja eficiente é necessário saber se a técnica utilizada está correta. Existem diversas técnicas de escovação, e descreveremos aqui uma das mais completas para portadores de aparelho fixo.
Para se evitar o aparecimento de cáries, manchas brancas e problemas na gengiva, é fundamental (i) que seja feita, diariamente, uma escovação completa, utilizando-se tanto a escova convencional quanto a escova interdental; (ii) que seja utilizado um fio dental específico para quem usa aparelho, e (iii) que seja feito um bochecho, preferencialmente antes de dormir, com uma solução fluoretada, normalmente encontrada em farmácias e supermercados.

Escova Convencional

Nas superfícies externas (lado “de fora”) dos dentes, a escova deve ser utilizada num ângulo de 45º e com as cerdas direcionadas para a junção entre os dentes e a gengiva (Figura 1), como se estivesse “varrendo a placa bacteriana”, enquanto a gengiva é massageada. Deve-se repetir esse movimento de “varredura” 10 vezes em cada grupo de três dentes, de preferência seguindo um “ritual” – começar pelo último dente da arcada superior do lado esquerdo, passar pelos dentes da frente até o último dente da arcada superior direita, e em seguida realizar este mesmo processo na arcada inferior.

fig1

Figura 1

Com relação às superfícies internas (lado “de dentro”) dos dentes, a escova deverá ser utilizada de forma “inclinada”, formando um ângulo de 90º com os dentes (Figura 2). Assim como nas superfícies externas, deve-se utilizar o mesmo “ritual”, iniciando pelo último dente da arcada superior do lado esquerdo, passando pelos dentes da frente (agora com a escova na posição vertical) e indo até o último dente da arcada superior direita. Esse mesmo ritual deverá ser aplicado nos dentes da arcada inferior.

fig2

Figura 2

É muito importante, também, não esquecer de escovar a língua (Figura 3), que se não escovada corretamente acabará sendo um fator de retenção de placa bacteriana.

fig3

Figura 3

Escova Interdental

Existem escovas específicas para uso em aparelhos ortodônticos – as chamadas escovas interdentais (Figura 4) – que auxiliam na remoção da placa bacteriana ao redor dos bráquetes.fig4

Figura 4

Fio Dental

O uso do fio dental – tradicional ou com passa fio – é fundamental para a correta higiene bucal, e deve ser utilizado de forma adequada, atuando na limpeza dos espaços entre os dentes, locais nos quais as escovas tradicional e interdental não conseguem penetrar. Caso julgado necessário, pode-se utilizar o fio dental com passa fio (agulhinha de plástico na ponta de cada segmento de fio).
A técnica correta consiste na introdução do fio dental no aparelho e, em seguida, entre os dentes, deslizando-o da gengiva para fora. É importante ressaltar que o fio deverá ser introduzido duas vezes em cada espaço de junção entre dois dentes – primeiro, voltado para a superfície esquerda da junção e, em seguida, para a superfície direita da mesma (Figura 5).
Para que nenhum dente seja “esquecido”, a utilização do fio dental também deverá seguir o ritual descrito nos itens anteriores, começando pelo último dente da arcada superior do lado esquerdo, passando pelos dentes da “frente”, até o último dente da arcada superior direita. O mesmo processo deverá ser repetido na arcada inferior.

fig5

Figura 5

Enxaguante Bucal

O uso de bochechos com soluções fluoretadas (fluoreto de sódio a 0,05%, 1 vez ao dia, de preferência à noite, antes de dormir) auxilia na proteção do esmalte dos dentes e inibe a aderência da placa bacteriana. É importante ressaltar, apenas, que essa solução não deve ser engolida.

Mais

Orientação aos pacientes que usam aparelho ortodôntico

Por que durante o tratamento ortodôntico com aparelho fixo a higiene bucal é difícil?

A instalação do aparelho ortodôntico fixo – com a presença de bráquetes (peças coladas nos dentes), bandas (anéis cimentados nos dentes), fios e demais acessórios – faz com que aumentem as áreas de retenção de alimentos, provocando, assim, um maior acúmulo de placa bacteriana.

O que é placa bacteriana?

É uma película de cor branca, cinzenta ou amarelada que adere aos dentes, em volta dos bráquetes, e é constituída de restos de alimentos, micro-organismos ou células descamadas. A falta de higiene bucal faz com que ela se torne espessa e de difícil remoção.

O tipo de alimentação interfere na higiene bucal e no bom andamento do tratamento ortodôntico?

Sim. Deve-se evitar a ingestão de alimentos açucarados e pegajosos, como balas, pirulitos e chicletes, que prejudicam os dentes e aumentam o risco de contrair cárie.
Importante evitar, também, a ingestão de alimentos duros, como pipoca e amendoim, e frutas como maçã e pêra, que devem ser cortadas em pedaços, pois o impacto da mordida pode danificar o aparelho fixo.

É verdade que o aparelho ortodôntico fixo mancha os dentes?

Não. O que pode acontecer é a falta de higiene do paciente provocar um acúmulo de placa bacteriana, principalmente ao redor dos bráquetes (peças coladas nos dentes).
Como a placa concentra restos alimentares e micro-organismos vivos, vai haver uma deterioração da superfície do esmalte, provocando manchas brancas ou marrons e, posteriormente, cáries.

Como proceder com a higiene para que, durante o tratamento ortodôntico com aparelho fixo, não ocorram cáries e a gengiva se mantenha saudável?

Os pacientes que usam aparelhos ortodônticos fixos devem ter atenção redobrada quanto à higiene, seguindo as técnicas adequadas de escovação e uso de fio dental (clique aqui para acessar o post específico sobre o assunto – “Higiene Bucal para usuários de aparelho ortodôntico”).
Além disso, devem efetuar limpezas constantes em consultório, seguindo as orientações dadas pelo ortodontista.

E em relação aos aparelhos removíveis?

Recomenda-se, além da higiene dos dentes, a limpeza do aparelho com a mesma frequência, escovando-o diariamente com creme dental para evitar a retenção de placa e o consequente odor desagradável. Mensalmente, pode-se deixar o aparelho imerso em um anti-séptico bucal por 15 minutos, mas atenção: nunca se deve ferver o aparelho.

Qual a escova dental recomendada?

A escova dental apropriada é aquela com cerdas arredondadas e macias. Existem no mercado escovas dentais próprias para a higiene do aparelho fixo, com pequenos tufos (unitufo, bitufo) e cerdas recortadas em forma de “v” para facilitar a limpeza dos bráquetes. A vida útil das escovas dentais dos pacientes ortodônticos é menor e, por esse motivo, ela deve ser substituída sempre que suas cerdas apresentarem sinais de desgaste.

Qual o creme dental recomendado?

Os cremes dentais (ou dentifrícios) possuem valor cosmético (creme) e terapêutico (flúor e substâncias antibacterianas). Aqueles vendidos no mercado brasileiro contêm flúor em condições de inibir o desenvolvimento de cárie e tornar as camadas superficiais do esmalte mais resistentes.

O uso de enxaguante bucal é eficaz?

Sim. O uso de bochechos com soluções fluoretadas (fluoreto de sódio a 0,05%, 1 vez ao dia, de preferência à noite, antes de dormir) auxilia na proteção do esmalte dos dentes e inibe a aderência da placa bacteriana. É importante ressaltar, apenas, que essa solução não deve ser engolida.

 

 

Mais